Comece errando

Tenho assistido muitas lives ultimamente, acho que muitos de nós também tem usado seu tempo com esta alternativa em nossa atual conjuntura. Em algumas delas o anfitrião recebe as pessoas e ouve suas dúvidas e dificuldades em produzir pão com levain em suas casas.

Ao ouvir os testemunhos e as dúvidas, vejo que as pessoas tem muito medo de errar. Algumas quase desistem por cometerem muitos erros. Concordo que não é bacana permanecer no erro e as vezes precisamos de ajuda para sair desse platô e evoluir, mas não devemos temer o erro.

Veja, a meu ver, como professor, acredito que somos capazes de aprender durante nossa empreitada, enquanto nos movemos adiante em nossa jornada na direção de nossos objetivos. Não temos que ter receio de errar e de abraçar nossos erros para aprender, é com eles que estruturamos nossa compreensão. Você erra aqui e cria uma nova forma de pensar, aprende a contornar aquilo. Quando você faz e erra, mas persiste e tenta de novo, e de novo, eventualmente, os erros vão diminuir.

É como aprender a falar, concorda!?

Quando crianças não sabemos falar. Pronunciamos nossos primeiros fonemas bem tarde, balbuciamos coisas ininteligíveis, mas, com muita persistência e carinho de quem nos conduz, os erros diminuem e dominamos a comunicação, nosso idioma. Mas aqui temos algo bacana de perceber, quando crianças, não temos receio de sermos bobos, de errarmos… Porque isso muda quando envelhecemos?

Veja, é preciso ser um tolo antes de ser um mestre. É preciso errar muito antes de aprender algo. E para aprender algo, é preciso assumir que vamos, ao menos inicialmente, fazê-lo de modo incorreto, impreciso, e os erros estarão presentes… agradeça e aprenda com eles.

É melhor tentar e fazer algo incorreto do que não fazer nada.

Não desanimem se o fermento de vocês não cresce como deveria, ou se os primeiros 100 pães que você fizer ficarem aquém do esperado, acredite em mim, vai precisar mais que 100 pães para você ficar craque. Estude técnicas diferentes. Erre, teste, erre novamente… anote tudo. Cada pessoa é um ser, cada pão é único, feito por um levain único. Não compare o seu com os que vê em belíssimas fotografias no Instagram, acreditem quando digo, fotógrafos “mentem” um bocado. Não existem receitas mágicas ou milagrosas, cada pão e cada erro ensinam mutuamente. A jornada não é sobre o que você quer aprender, mas sobre o que o pão vai te ensinar… esteja aberto e com os sentidos aguçados para aprender.

E lembrem-se – “O mestre já errou mais vezes que o aprendiz sequer imaginou tentar.”

Boas fornadas!

4 comentários em “Comece errando

  1. Bom dia!
    Boa reportagem. Sou iniciante na arte de fazer pão caseiro, já cometi alguns erros, mas o que gostaria mesmo de saber, é uma tecnica para minimizar i cheiro do fermento do pão. Observo que no outro dia o pão cheira mais forte à fermento. Não sei como chama esse cheiro!
    Sendo assim, poderia me ajudas com algum passo de como eliminar o cheiro?
    e-mail:marcelinofcfilho@gmail.com

    Curtir

    1. Oi Marcelino! Como está?
      Primeiramente obrigado por acompanhar o blog e deixar sua dúvida.
      Já se inscreveu para receber as atualizações? Em breve vou montar um grupo de estudo no Telegram, fica atento para participar.
      Então, queria saber como você fez e como alimenta o seu fermento? Com o que, mais precisamente? Também quero saber como você armazena seu pão de um dia para o outro? Acho que essas informações vão levantar algumas hipóteses para a minha sugestão.
      Se quiser me mandar uma mensagem no Telegram, acho que podemos manter uma conversa mais produtiva por lá! O que acha!?
      Te aguardo amigo.

      Curtir

  2. Não cheguei nos 100paes , mas já estou bem adiantada!hahaha. Os meus pães sempre ficam meio chiclete. Já testei todas as possibilidades, e nada! Onde posso estar errando!

    Curtir

    1. Oi Irani! Tudo bem!?
      Obrigado pelo seu comentário e visita ao blog.
      Fico feliz de saber que está adiantada rumo aos 100 pães… lembre-se de não se comparar com ninguém nesse processo, compare-se consigo mesma a cada fornada.
      Pão chiclete… nunca provei, mas acho que meu filho ia adorar! =)
      Faça anotações de como está sendo seu processo e aos resultados que tem conseguido. Vá fazendo pequenas alterações e observando. Talvez mais tempo de pré-aquecimento do forno!? Talvez mais tempo de sova!? Talvez menos tempo de descanso da massa!? Quem sabe… só você observando cuidadosamente os passos do seu processo aí.
      Fazer pão é um processo de autoconhecimento, de escrutinar nossas ações, tomar notas e ações para alcançar os resultados que queremos.

      Boa sorte! Depois de anotar como faz o pão (passo a passo com tempos e tudo), se quiser manda pra eu ver! =)

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: